A expressão da colheita!!!!

Graça e Paz amado !!

Sabe qual é a expressão Matemática de um colheita?

Boa semente + terreno fertil. A boa semente depende de nós, da nossa fé, da nossa aliança com Deus e com nosso líder etc....porém, o terreno não depende só de nós , mas também de nós. Precisamos gerar o coração fértil dos discípulos em oração, precisamos jejuar por eles, mas no final de tudo não podemos obrigar as pessoas a serem salvas dese mundo tão perverso.


Baseado nisto, faça como Jesus nos ensinou, alegre-se com sua salvação e dê tudo de sí para levar outros a este caminho, tenha sua consciência limpa, pura diante de Deus e se os frutos não vierem na proporção que desejamos continuaremos firmes profetizando pois a coisa mais importante do mundo deve ser a realidade de que Deus habita em nós e que ele quer habitar em outros.



Um abraço e Shalom!!!

Festa de Pentecostes

“Também guardarás a festa das semanas, que é a festa das primícias da sega do trigo, e a festa da colheita no fim do ano.” (Êxodo 34:22)

É festa! Mais uma vez podemos celebrar, dançar, cantar, nos alegrar com as maravilhas que o Senhor tem feito nas nossas vidas. Que bom, não é mesmo?

Estamos nos preparando para celebrar Pentecostes. A palavra Pentecostes é de origem grega, significa “quinquagésimo”. A Festa de Pentecostes é denominada em hebraico de Shavuot, que é o plural de semana. Por isso, é também conhecida como Festa das Semanas, por ser celebrada sete semanas após a Páscoa e estar relacionada com as primícias da colheita de grãos, especialmente a do trigo e cevada (Deuteronômio 16:9-12; Êxodo 23:16; 34:22).

A Festa era comemorada no verão, no princípio da colheita do trigo. Era também o tempo do amadurecimento dos figos, tâmaras, cerejas e ameixas. Segundo a Lei, todo o povo de Israel deveria trazer um molho das primícias de sua colheita ao sacerdote, o qual era oferecido como oferta de movimento ao Senhor, a fim de serem aceitos diante de Deus. Por esta razão, este dia é também denominado de Festa das Primícias (Levítico 23:9-14).

Pentecostes era uma festa de agradecimento pelos primeiros frutos da terra, e ao mesmo tempo, uma súplica para que a bênção de Jeová repousasse sobre o restante dos meses de colheita que viriam. E para ela havia uma santa convocação (Levítico 23:15-21), isto é, todos eram convocados a celebrar. Pentecostes era uma festa campestre, e um momento de muita importância na vida do povo hebreu, que era dedicado ao cultivo da terra. Era uma festa de gratidão a Deus, pois eles sabiam que, graças à proteção divina, os frutos puderam ser colhidos. Eram, então, separadas as primícias, como oferta. Por isso, Shavuot é chamada também, Chag Habikurim, Festa das Primícias.

Antes de o Templo ser destruído, em Shavuot aconteciam grandes peregrinações. Grupos de agricultores vinham de todas as províncias e o país adquiria um aspecto animado, divertido e colorido. Os peregrinos se organizavam em longas caminhadas, e dirigiam-se para Jerusalém, acompanhados durante o trajeto pelos alegres sons de flauta. Em cestos decorados com fitas e flores, cada um conduzia a sua oferta; primícias de trigo, cevada, uvas, figos, romãs, azeitonas, tâmaras. E, ao chegarem à Cidade Santa, eram recebidos com músicas de boas vindas e penetravam no Templo, onde faziam a entrega dos seus cestos ao sacerdote. A cerimônia se completava com hinos e toques de harpas e outros instrumentos musicais.

Nessa festa, há algumas coisas importantes para nós aprendermos como, por exemplo, ter compromisso com Deus e a Sua vontade, pois Ele é o Criador e Sustentador das leis que regem o mundo. Ele faz a distribuição da terra e manda a chuva para todos, bons e maus, homens e mulheres, jovens e crianças. E aprender a agradecer. Agradecer a Deus pelo dom da terra - para morar, plantar e se alimentar dos frutos produzidos nela. Ser grato pela "terra que mana leite e mel", pela cevada, trigo e outros grãos que sustentam a vida e representam uma alegria de enormes proporções.

Os judeus, ainda hoje, têm a sua maneira própria de celebrar Pentecostes. Os três dias que precedem Shavuot dedicam-se, geralmente, ao estudo da Bíblia e de outros textos sagrados. As pessoas preparam-se, assim, para receber a Festa, tal como os israelitas do deserto se aprontavam, por ordem de Moisés, "para o terceiro dia". Costuma-se passar a primeira noite de Shavuot em vigília, entregando-se a discussões sagradas com alguns amigos. Nos lares, são preparadas comidas especiais, preferencialmente, lácteas e pratos adoçados com mel. Este costume tem uma origem muito interessante, pois deriva de uma passagem de Cântico dos Cânticos, do rei Salomão, que diz: “mel e leite há sob tua língua", o que significa que a Torá é tão doce como o mel, tão nutritiva como o leite.
(transcrito do site www.comunidadevitoria.com.br).


Veja que estudo importante para este tempo chamado de crise!!!

O poder da Semeadura
“E semeou Isaque naquela mesma terra, e colheu naquele mesmo ano cem medidas, porque o Senhor o abençoava.” (Gênesis 26:12)

A Bíblia registra a história de Isaque, o filho da promessa de Abraão e Sara, que plantou em meio à crise e teve uma colheita extraordinária.

Na parte final deste estudo, aprenderemos um pouco mais sobre o poder da semeadura, em ter coragem para semear, mesmo em tempo de crise. Com certeza, Deus tem uma porção especial para cada um de Seus filhos. Precisamos buscar orientação divina para não comprometermos a nossa fé nem as nossas finanças em tempos de dificuldades, mas vivermos o que temos declarado continuamente, que somos a resposta para esta geração.

Coragem, a arma do Reino

Coragem é uma arma no Reino de Deus. Deus nos deu espírito de ousadia, de coragem. Ele não se agrada em que sejamos covardes.

Os covardes morrem todos os dias. Em cada ação de guerra um covarde morre de uma forma diferente. Eles morrem nas emoções, nos sentimentos, na coragem. Eles vivem morrendo. Os corajosos morrem uma vez na vida para ganhar outra vida.

Deus tem um batismo específico para Seus filhos. E o nome do batismo é coragem. Nestes dias de dificuldade, fazer empreendimentos você tem de ter muita sabedoria de Deus, conhecer a Deus, ter a bênção dEle e ser corajoso.

A Bíblia diz que o verdadeiro amor a Deus lança fora todo medo. E se você ama a Deus todo o espírito de medo vai bater em retirada do seu arraial. Você precisa ser possuído pelo espírito da coragem para aprender a lançar a semente no solo em meio à dificuldade.
Por Ap Renê Terra Nova

(Fonte: mir 12.com.br)