Brasil e advertido pela Fifa por realizar manifestação religiosa no fim da Copa das Confederações!


A comemoração do Brasil pelo título da Copa das Confederações, na África do Sul, e o comportamento dos jogadores após a vitória sobre os Estados Unidos causaram polêmica na Europa. A queixa é de que a seleção estaria usando o futebol como palco para a religião. A Fifa confirmou à Agência Estado que mandou um alerta à CBF pedindo moderação na atitude dos jogadores mais religiosos, mas indicou que por enquanto não puniria os atletas, já que a manifestação ocorreu após o apito final.

Ao final do jogo contra os EUA, os jogadores da seleção brasileira fizeram uma roda no centro do campo e rezaram. A Associação Dinamarquesa de Futebol é uma das que não estão satisfeitas com a Fifa e quer posição mais firme. Pede punições para evitar que isso volte a ocorrer.
Com centenas de jogadores africanos, vários países europeus temem que a falta de uma punição por parte da Fifa abra caminho para extremismos religiosos e que o comportamento dos brasileiros seja repetido por muçulmanos que estão em vários clubes da Europa. Tanto a Fifa quanto os europeus concordam que não querem que o futebol se transforme em um palco para disputas religiosas, um tema sensível em várias partes do mundo. Mas, por enquanto, a Fifa não ousa punir o Brasil.


“A religião não tem lugar no futebol”, afirmou Jim Stjerne Hansen, diretor da Associação Dinamarquesa. Para ele, a oração promovida pelos brasileiros em campo foi “exagerada”. “Misturar religião e esporte daquela maneira foi quase criar um evento religioso em si. Da mesma forma que não podemos deixar a política entrar no futebol, a religião também precisa ficar fora”, disse o dirigente ao jornal Politiken, da Dinamarca. À Agência Estado, a entidade confirmou que espera que a Fifa tome “providências” e que busca apoio de outras associações.
As regras da Fifa de fato impedem mensagens políticas ou religiosas em campo. A entidade prevê punições em casos de descumprimento. Por enquanto, a Fifa não tomou nenhuma decisão e insiste que a manifestação religiosa apenas ocorreu após a partida. Essa não é a primeira vez que o tema causa polêmica. Ao fim da Copa do Mundo de 2002, a comemoração do pentacampeonato brasileiro foi repleta de mensagens religiosas.


A Fifa mostrou seu desagrado na época. Mas disse que não teria como impedir a equipe que acabara de se sagrar campeã do mundo de comemorar à sua maneira. A entidade diz que está “monitorando” a situação. E confirma que “alertou a CBF sobre os procedimentos relevantes sobre o assunto”. A Fifa alega que, no caso da final da Copa das Confederações, o ato dos brasileiros de se reunir para rezar ocorreu só após o apito final. E as leis apenas falam da situação em jogo.


Fonte: Yahoo / Gospel+

O MODELO DE SUCESSO DE JESUS !

Vejamos o texto sagrado de Isaías 52:13,14 “ Eis que o meu servo operará com prudência; será engrandecido, e elevado, e mui sublime.

Como pasmaram muitos à vista dele, pois a sua aparência estava tão desfigurada, mais do que o de outro qualquer, e a sua figura, mais do que a dos outros filhos dos homens.”

Esta passagem bíblica faz menção à pessoa de Jesus Cristo. Quando investigamos de uma forma mais cuidadosa o texto apresentado ele nos parece um tanto antagônico, se tomarmos como base a visão de sucesso difundida por muitos formadores de opinião de nossa sociedade surgiria à seguinte indagação, como pode alguém elevado, engrandecido ter uma aparência desfigurada, irreconhecível?

Para responder esta pergunta precisamos entender a diferença entre a ótica de sucesso do mundo em que vivemos e a ótica de sucesso de Jesus Cristo. Na ótica humana de uma maneira geral sucesso significa reconhecimento, aceitação, inserção em um contexto almejado. Na ótica divina, sucesso está relacionado à fidelidade ao cumprimento de uma missão, por isso Jesus poderia ser bem sucedido e assim mesmo ter uma aparência desfigurada aos olhos humanos.

Este é um dos pontos em que a vida de Jesus Cristo confronta os padrões humanos através do evangelho, o sucesso de Jesus tem como base a fidelidade, mesmo que as pessoas não aceitassem suas idéias, mesmo que o perseguissem, o maltratassem, não o entendessem, Ele permanecia com a auto estima intacta, pois seu sucesso era homologado internamente e não externamente. Este modelo de sucesso apresentado por Jesus gera liberdade aqueles que o aderem, gera independência e naturalmente faz nascer verdadeiros líderes que terão ferramentas para mudar contextos e geografias, basta lembrar o exemplo de Jesus que mudou a história da humanidade.

Penso que o mundo já tem bastante pessoas que desejam vencer nele, o que nos precisamos hoje é de pessoas que desejem vencer dentro de si e a partir de suas vitórias internas mudar a realidade a sua volta como Jesus fez e nos orientou a fazer em nome Dele.

Desejo sucesso para você, mesmo que nesta sinergia com o mundo você seja rejeitado, te desfigurem o semblante pelo desrespeito, digam que você é irreconhecível aos padrões mundanos, no final a semente do evangelho, da mudança, será de alguma forma reconhecida e você contribuirá para um mundo melhor em cristo, então, shalom e sucesso para você.

Pr André Carvalho

Igreja Evangélica manancial de Vida

Artigo publicado no Jornal Monitor Campista em 29/06/2009