O caminho de Deus sempre é o melhor!!


No mês de Janeiro estive de férias e aproveitei para meditar um pouco no livro de Exodo. Ao chegar ao cap 32 me deparei com o relato da idolatria do povo de Israel através da fundição de um bezerro de ouro, passarei a relatar algumas verdades que o Espírito Santo trouxe ao meu coração através deste texto:

1- O caminho de Deus para nós é sempre um caminho de libertação, de crescimento. Deus está sempre nos tirando de um estágio inferior para uma estágio mais amplo de vida.

2- Precisamos entender que a libertação que Deus faz chegar até nós não é um ato isolado mas a inauguração de um caminho que vai em direção a terra prometida, portanto não devemos recorrer a bezerros de ouro pensando que os milagres são atos isolados que desembocam na realidade de um Deus que nos deixa orfãos do acaso, de forma alguma, cada milagre simboliza apenas o início de um caminho.

3- O fato histórico vivido pela nação de Israel aponta para uma realidade que todo ser humano sempre poderá enfrentar, pense na sua vida cristã quantos bezerros são apresentados dia após dia para te desligar da visão do caminho.
A verdade é que Jesus nos apresentou uma proposta de salvação que foi percebida através dos milagres que cada um de nós provou nesta experiência que chamamos de novo nascimento, e aí todos os dias somos apresentados a bezerros de ouro, a saber, toda e qualquer oportunidade que busca substituir o caminho e nos envolver apenas em lembranças dos milagres do passado a isto podemos chamar de "bezerros de ouro" do sec 21. Um exemplo é a prática da religião desconectada do evangelho, a religião celebra uma lembrança enquanto o evangelho aponta para a celebração de uma presença, a presença de Jesus.

4-Adorar a "bezerros de ouro" é abrir mão do caminho do evangelho e suas curvas, que na verdade são instrumento que nos fazem mais parecidos com Jesus, é usar qualquer subterfúgio que busque substituir a emoção do relacionamento pela frieza da lembrança, ainda que devamos a todo tempo lembrar das obras que o Senhor fez em nossa vida, nossa experiência diária não deve ser de lembranças mas de celebração da presença.

Hoje estou em uma curva do caminho em direção a terra prometida não sei o que virá pela frente mas prefiro as curvas vividas num relacionamento do que a solidão alimentada pelas lembranças do passado.