Palavra de Reflexão

"O mar encapelou-se...e se arremessou entre as cobertas... Os alemães / morávios / continuam cantando calmamente. Perguntei depois a um deles: Você não teve medo? Ele respondeu: Graças a Deus, não" (diário de Wesley, 1736)

Uma coisa é dizer que você adota a fé cristã, tendo lido a Bíblia... Dizer: "Sim, creio nisso tudo; esta é a fé pela qual vivo." Não é, contudo, exatamente a mesma coisa achar essa fé triunfante e vitoriosa e mantê-la num estado de gozo quando tudo parece ir contra você e prestes a levá-lo ao desespero...Está muito longe dos domínios de mera teoria. Você está na posição, você está na situação, essas coisas lhe estão sucedendo, e a questão é: De que lhe vale a sua fé a essa altura? Ela o diferencia dos que não tem fé? ... Hoje em dia muitos dizem que são realistas e práticos. Dizem que não estão interessados em doutrinas, que não estão interessados em ouvir muito do que dizemos. Mas se vêem um grupo de pessoas que parecem ter algo que as capacita a triunfar na vida, ficam logo interessados. É porque são infelizes, frustados, inseguros e dominados pelo medo. Se, ao se acharem nessas condições, vêem gente que parece possuir paz, sossego e tranquilidade, mostram-se logo prontos para dar-lhe atenção e ouvi-la. Desta maneira, do ponto de vista da nossa felicidade pessoal e da preservação do nosso gozo do Senhor, bem como da evidência da vida cristã em nós, e do nosso testemunho nestes dias difíceis, convém considerar cuidadosamente o que o apóstolo tem para dizer nestas afirmações magistrais (Filipenses 4.6,7) acerca do modo de lidar com a tirania das condições e circunstâncias.
Referência: D.M. Lloyd-Jones, Mensagem para Hoje, p.295