Atentado contra Igreja no Egito faz 21 mortos e 43 feridos...

ALEXANDRIA, Egito, 1 Jan 2011 (AFP) -Um atentado na madrugada deste sábado contra religiosos da Igreja Copta do Egipto, primeira comunidade cristã do Oriente Médio, fez 21 mortos e mais de 70 feridos, segundo o porta-voz do ministério da Saúde, Abderrahman Chahine, citado pela agência de notícias oficial Mena.

O ataque foi registrado em frente à igreja dos Santos (al Qidisin) em Alexandria, a grande cidade do norte de Egito, por volta da meia-noite e meia, quando os fiéis deixavam o templo.



Segundo o ministério do Interior egípcio, o atentado teria sido cometido por um terrorista suicida.

Uma testamunha disse ao canal privado On-TV ter visto um automóvel verde da marca Skoda estacionar diante da igreja à 00H20.
Alguns homens saíram do veículo, que pouco depois explodiu.

O presidente egípcio, Hosni Mubarak, pediu a união de cristãos e muçulmanos ante o terrorismo.

Mubarak, citado pela agência oficial Mena, fez um apelo "aos filhos do Egito -coptos e muçulmanos- a se associarem contra s forças do terrorismo e aos que querem atentar contra a segurança da pátria, sua estabilidade e unidade de seus filhos".

Na manhã deste sábado, dezenas de cristãos encolerizados se manifestavam diante do templo.

"Onde está o governo?", perguntavam os fiéis.

"Por nossa alma, por nosso sangre, nos sacrificamos por ti, oh cruz!", gritavam.

Diante do templo, uma bolsa negra destroçada de uma vítima e pedaços de roupa ainda estavam no chão, horas depois do atentado.



"Se o bispo terminasse a missa dois minutos antes, o banho de sangue teria sido pior", contou à AFP, no hospital local, Nermine Nabil, ferida na explosão.



Mas o que mais preocupa a esta jovem mãe de família são "os serviços de segurança que nada fazem, permitindo que o carro estacionasse diante da igreja, apesar da proibição firme das autoridades", após ameaças da Al-Qaeda.



O atentado, não assumido até agora, acontece dois meses depois que um grupo próximo ao braço iraquiano da Al-Qaeda, chamado Estado Islâmico do Iraque, ter proferido ameaças contra a Igreja Copta do Egito.

Este grupo se responsabilizou pelo ataque do dia 31 de outubro à catedral siríaca católica de Bagdá, no qual morreram 46 civis, entre eles dois sacerdotes, além de sete membros da força pública e cinco atacantes.

Também ameaçou atacar a Igreja Copta do Egipto se esta não libertasse duas cristãs que, segundo o grupo, estão "encarceradas em mosteiros" por terem se convertido ao Islã.



As duas mulheres mencionadas são Camilia Chehata e Wafa Constantine, esposas de dois sacerdotes coptos, cuja suposta conversão ao Islã teria causado muita polêmica no Egipto.



Refaa al Tahtaui, porta-voz de al Azhar, a grande instituição de difusão do Islã sunita com sede no Cairo, interveio na televisão pública para denunciar um atentado que, segundo ele, ataca "a unidade nacional egípcia", e fez um apelo à calma a cristãos e muçulmanos.



Segundo as estimativas, os fiéis da Igreja copta, a maior comunidade cristã do Oriente Médio, representam entre 6 e 10% da população do Egito, de um total de 80 milhões de habitantes.

OREMOS POR NOSSOS IRMÃOS NO EGITO, ESTE ANO EU ESTIVE EM UMA IGREJA CRISTÃ COPTA NO EGITO E VÍ DE PERTO O SOFRIMENTO DELES PELO EVANGELHO.




OS PROFESSORES ERRARAM...TINHAM QUE LEVAR PARA DELEGACIA!

 "Não retires da criança a disciplina, pois se a fustigares com a vara, não morrerá. Tu a fustigarás com a vara e livrarás a alma do inferno" (Pv 23:13,14; cp. 19:18)

 

Pais vão processar escola que expulsou alunos por fumar maconha

Três pais de alunos vão processar a Escola Britânica, colégio particular bilíngue no Rio de Janeiro, por ter expulsado seus filhos sob a acusação de fumarem maconha durante viagem organizada pela escola na semana passada. Os três adolescentes, de 16 anos, foram obrigados a abandonar o passeio, em Pouso Alto, sul de Minas, no primeiro dia.

Segundo um dos pais, que não quis se identificar, os professores mandaram que eles voltassem de táxi. "Meu filho foi tratado como um criminoso. Ele não é e não vou admitir que façam isso com ele. O papel de uma escola é educar."

A Britânica é uma das escolas mais caras do Rio. Para entrar, os alunos pagam uma taxa de cerca de R$ 20 mil. As mensalidades giram em torno de R$ 3,5 mil. Procurada pelo Estado, a escola não quis se manifestar. Os pais decidiram processar o estabelecimento, o diretor e os professores envolvidos no episódio tanto na área cível quanto na criminal.

"A escola desrespeitou a dignidade dos alunos. Foi uma afronta aos direitos fundamentais dos menores. Os algozes (professores e diretor) foram insensíveis, desumanos, arbitrários e vão pagar por isso", afirmou o criminalista Nélio Machado, que representa as famílias.

O passeio da turma foi realizado na semana passada. Os três alunos estavam juntos, no mesmo quarto e, segundo o pai de um deles, os professores sentiram cheiro de maconha. "Eles foram interrogados e sofreram terror psicológico para confessar que tinham fumado. Logo depois foram expulsos do passeio." Segundo o pai, eles tiveram de encontrar uma maneira de voltarem para casa sozinhos. "Isso é inadmissível", afirma. Pouso Alto fica a 250 quilômetros do Rio.

Além do processo criminal, os pais vão tentar uma liminar para que os adolescentes possam continuar estudando na escola. "O que a escola fez é um exemplo negativo. Em vez de educar, resolveram tratá-los como criminosos." As informações são do Jornal da Tarde.

Eu acho melhor eles guardarem dinheiro para pagar um advogado quando estes adolescentes forem presos no futuro, pois este é o futuro que lhes aguarda se não houver um milagre...